Post expresso: Feitiços

Sup!!

Mesmo que eu ame fantasia do fundo do meu fígado, não é muito fácil pra mim escrever algo nesse gênero… Um dos meus problemas é com a magia.

Eu gosto de criar histórias com o mínimo de ideias vindas de terceiros, mesmo que isso seja difícil. Então, sempre que eu vou pesquisar coisas para uma nova história, eu passo longe de tudo o que estiver em livros parecidos (A menos que eu não saiba que tal ideia está num livro parecido com o meu… O que acontece muito!!! E com exceção também de writing prompts, que eu uso muito pra contos e fanfics, só pra praticar ou pra esgotar uma torrente de inspiração que não vai servir pro meu livro atual).

É um trabalho bem mais complicado, mas de vez em quando aparece algo legal.

 

Imagem do Pinterest

Essa é uma lista de palavras em latim para feitiços. O Latim é a língua mais usada para criar feitiços, mas também não precisa ser a única!!

Aqui vai uma lista de línguas mortas que você pode usar no seu reino!! (Fica a dica pra também mudar o lugar e época que você pode usar como inspiração, de acordo com a língua que escolher. Nem todos os reinos mágicos precisam parecer a Europa Medieval, né??)

  • Sumério: A primeira língua escrita conhecida. Por que não a língua de um povo mágico extinto?? (Essa é dificinha de conseguir tradução, então eu a sugiro para quem tem o fogo da determinação num nível bem alto!!)
  • Aguano: Língua extinta do Peru. Lugar interessante para histórias místicas, com paisagens e uma cultura linda e empolgante de estudar!!!
  • Quíchua: Quem estudou a América Pré-Colonial deve lembrar dessa!! Vários países a falavam antes da invasão espanhola, e eles tinham uma mitologia rica que daria um ótimo tema geral para uma aventura mágica!!!
  • Grego antigo: Se existem feitiços em latim, por que não em grego??

Claro que eu não vou passar uma lista com 20 idiomas aqui, né?? O que eu quero é despertar a curiosidade por outros povos e línguas. Novas ideias (ou ideias reformuladas) na literatura são sempre bem-vindas!!!

Anúncios

Post expresso: Convocando membros para uma sociedade secreta

Resultado de imagem para sociedade secreta
Imagem da Fatos Desconhecidos

Sup!!

Faz algum tempo que eu fiz um post sobre a criação de sociedades secretas pra usar em histórias. Claro que eu pesquisei sobre o assunto porque é um tema que eu vou usar, mas então me veio uma dúvida enorme sobre o assunto: Como uma sociedade secreta, completamente desconhecida por qualquer um que não faça parte dela, chama seus novos recrutas?

Eu juro que sequer cogitei essa ideia até precisar usá-la… Erro meu, mas fazer o quê, né? O jeito foi pesquisar mais.

Depois de checar de cinco a seis sites, não tive muito sucesso… Todos apresentavam ideias arriscadas para uma sociedade secreta de verdade, estilo Cicada, porque quase todos focavam em crianças e adolescentes. A melhor ideia que eu achei veio do Wikihow (sem brincadeira, a ideia é boa mesmo).

Basicamente, ele te diz para sutilmente introduzir a ideia da sua sociedade na mente de uma pessoa e observar sua reação sem comprometer informações cruciais ou dizer de cara que se trata de algo secreto. Você precisa ver se a pessoa realmente se interessa pela ideia e se cumpriria as regras de bom grado antes de se arriscar a dar informações reais sobre o seu grupo.

Para sociedades estilo Clube da Luta (eu não faço parte, então eu posso falar dela), normalmente os recrutas são trazidos com a influência de veteranos que enxergam vontade e potencial neles. Ou um grande desespero, no caso do cara que frequentava uma penca de grupos de ajuda.

Mas esse tipo de sociedade promove prazer, adrenalina e satisfação pra quem participa, além de ter regras que garantem a segurança e a “diversão”, evitando revoltas por injúrias graves ou decepções remoídas. Assim, a chance de alguém sair e trair o grupo é pequena, porque estar lá significa fazer parte de algo que devolve a vitalidade de quem tem uma rotina de merda.

Então, como garantir bons recrutas numa sociedade onde você não tem tanta satisfação e os riscos de traição são muito maiores, como em sociedades que praticam atividades ilícitas (quero dizer, piores que lutas clandestinas)? A resposta é observação.

No wikihow e no Clube da Luta você pode perceber algumas semelhanças: Os dois te dizem que os bons recrutas são aqueles que se afeiçoam pelo tema geral do grupo o suficiente para cumprir as regras. Também mostram, não de forma tão clara, que os novos recrutas devem estar abertos ou vulneráveis a ideias como a da sociedade em que vão entrar. Basicamente, alguém sedento por justiça do fundo da alma, não apenas por algo que aconteceu uma vez, aceitaria entrar numa sociedade de justiceiros. Alguém que realmente deseja tirar as pessoas que governam o país de seus cargos, não por ganância, mas por vontade de mudar a vida das pessoas que precisam, e que não recua diante de presentes ou represálias, é perfeito para um grupo de rebeldes em busca de revolução.

Okay, esse é só o primeiro ponto (isso porque é um post expresso!!), o segundo é como contatar essas pessoas de verdade.

Quando você acha uma boa escolha para recruta, observa e garante que ele aceitaria de bom grado seguir a sua sociedade, chega a hora de fazer contato. A partir daí, você decide qual método se encaixa na época e estilo da sua história:

  • Mensagem não-rastreável enviada para o e-mail ou outra rede social do recruta.
  • Carta anônima com um código que mostra o lugar e data para uma conversa frente a frente.
  • Um veterano se aproxima, faz amizade, casualmente toca no assunto e apresenta a ideia real quando os dois estão sozinhos (confundir o veterano com um tarado daria uma cena engraçada).
  • Ligação anônima que desperta a curiosidade do recruta (parecido com a mensagem, mas pode ser útil nos anos 70 ou coisa do tipo).
  • Mensagens subliminares espalhadas por onde o recruta passa durante a sua rotina.

Por enquanto, são essas as ideias pra contato que eu tenho… Para sociedades mais poderosas, usar a polícia ou a imprensa pra essas convocações seria bom, mas arriscado para códigos muito abertos. Lembrem da caça ao tesouro da Cicada 3301!! Ninguém sabe como os vencedores sumiram, mas agora todos sabem que ela existe!!!

Resenha: Juramento de Sangue, por Christopher Farnsworth

Imagem relacionada
Imagem da Saraiva

Sup!!

Juramento de Sangue me chamou a atenção pela parte do “Sangue”. Adoro histórias com muito sangue e tripas!!

Também ajudou a despertar a minha curiosidade essa frase na capa. Juntando sangue e um homem morto, um fã de livros de terror sobrenatural descobre na hora do quê se trata, né?? Vampiros!!! (Claro que a palavra “VAMPIRO” escrita bem grande, quase com setas e sublinhados, me ajudou a considerar essa possibilidade…)

Continue lendo “Resenha: Juramento de Sangue, por Christopher Farnsworth”

Resenha: Admirável Mundo Novo, por Aldous Huxley

 

Resultado de imagem para admiravel mundo novo
Imagem do Google

Sup!!

Admirável Mundo Novo é um livro que eu enrolei pra ler… Achei que fosse técnico e acabei subestimando a história. Grande erro meu.

Depois de ler a primeira vez, li mais umas três e passei metade do meu tempo nos dias seguintes refletindo sobre tudo o que aquele livro dizia. É emocionante e assustador saber que, pouco a pouco, tudo o que tem naquele mundo está sendo criado no nosso.

Continue lendo “Resenha: Admirável Mundo Novo, por Aldous Huxley”

Ficha de personagem

Francesca M. Healy

Sup!!

Criar personagens é uma tarefa não muito fácil, mas muito divertida!! A personalidade e passado dos personagens são essenciais para a imagem que ele vai passar ao longo da história. Por exemplo: A culpa e a dor que Dumbledore sentiu quando foi torturado com a poção daquela caverna em que foi com o Harry em O Enigma do Príncipe. Ele deu indícios do próprio passado ali, passado que só descobrimos n’As Relíquias da Morte e que explicaram muito sobre a personalidade e o modo de pensar dele.

Como criar um personagem que seja tão profundo quanto a Deep Web??

Existem vários modos de se conseguir isso, e um deles é uma ficha de personagem!!

Continue lendo “Ficha de personagem”

Resenha: Vítimas do Silêncio

Sup!!

Faz uns dias que eu fui no centro com o meu irmão e a minha mãe (por pura necessidade) e nós cruzamos com uma feirinha de livros muito bonitinha que estava bem no meio do calçadão. Nós demos uma olhada e a minha mãe perguntou se eu tinha me interessado por algum. Eu tinha.

Uma moça estava cuidando de uma bancada com vários livros de uma autora de nome brasileiro, eles chamavam “Vítimas do Silêncio”. A capa e a sinopse me chamaram a atenção (uma história sobre uma moça vítima de estupro e como o silêncio afetou a vida dela e de outras pessoas), então eu perguntei pra moça sobre os livros. Ela era a autora.

Continue lendo “Resenha: Vítimas do Silêncio”

Sociedades secretas

Sociedades.png
Foi mal pela marca d’água, mas essa mariposa foi a melhor que eu consegui encontrar, e por enquanto não vai dar pra comprar a imagem Hauhaus Já fica a dica pra quem quiser fazer capas, Canva não decepciona!!

Sup!

Sociedades secretas hoje em dia… não são bem secretas, né?? Sendo apenas lendas ou não, se alguém que não faz parte dessa sociedade souber que ela existe, ela não é mais completamente secreta. É o caso dos Illuminati, o pessoal da Cicada 3301, os maçons ou aquele clubinho secreto que você fazia com os primos/irmãos/amigos quando era criança. Certeza de que pelo menos três adultos sabiam que vocês se encontravam no terreno da esquina pra brincar.

Sendo secretas ou não, esses grupos são um prato cheio pra histórias. Pouca coisa é mais interessante do que a revelação de um desses grupos pro mundo inteiro, ainda mais se eles agirem em mais de um país, continente, forem misteriosos ou levantarem debates e lendas exagerados estilo “Eles querem dominar o mundo”.

Continue lendo “Sociedades secretas”